Bituca – Milton Nascimento para Crianças

Bituca – Milton Nascimento para Crianças” é o terceiro espetáculo do projeto “Grandes Músicos para Pequenos”. Retrata parte da infância do pequeno Milton, através de suas músicas e de trechos reais de sua vida.

A vida em forma de poesia

O texto assinado por Pedro Henrique Lopes (também autor de “Luiz e Nazinha” e “O Menino das Marchinhas“) defende a ternura e a graça de viver e vencer os desafios de um tímido jovem negro ao se inserir na sociedade aristocrata mineira. A direção criativa de Diego Morais (também diretor dos espetáculos anteriores do projeto) pretende repetir a magia e a leveza que as crianças trazem em sua essência no palco ao contar essa história.

A apresentação lúdica de temas tão necessários para a nossa sociedade, como adoção e preconceito racial,  faz com que o espetáculo compartilhe boas lições com as famílias de todos os espectadores, além de proporcionar momentos inesquecíveis de muita diversão.


“As pessoas perguntam muito a respeito de preconceitos, né? Porque existiam preconceitos. Tem gente que pergunta se eu sabia que era filho adotivo. Pais brancos, irmãos brancos… Aí eu olho e falo assim: o negócio é o seguinte. Eu, quando a cegonha me trouxe, a porta estava fechada e ela teve que entrar pela chaminé. É assim que nós todos explicávamos essa coisa a todo mundo.”  Milton Nascimento


A Importância de Milton Nascimento

Milton Nascimento é um dos maiores artistas da música popular brasileira de todos os tempos. Sua obra com compositor e cantor são estudadas e reconhecidas no mundo todo. O movimento “Clube da Esquina” criado com Lô Borges é, sem dúvida, uma das maiores expressões da música brasileira. Como reconhecimento de tamanha genialidade, acreditamos que sua obra precisa ser cada vez mais difundida entre as novas gerações.

Com reconhecimento e incontáveis homenagens e premiações internacionais, Milton Nascimento é detentor de uma história de vida singular e uma obra musical respeitada e reverenciada pelos mais diversos grupos e instituições no mundo. Abordar a vida da criança Milton é mergulhar no universo dos morros cariocas e, ao mesmo tempo, do interior rural mineiro, e desfrutar da descoberta de sentimentos nobres como o amor de pais adotivos, do respeito pelas diferenças e o despertar para uma vida de talento e vocação.


Sinopse do Espetáculo

Ainda muito jovem, Milton se torna órfão. A avó é quem cuida do menino. Ela divide o tempo entre trabalhar em uma casa de família e a cuidar do pequeno Milton. A filha da patroa, Lília, uma jovem recém casada está tentando engravidar. Lília se apega muito ao menino, e o menino à Lília.

O marido de Lília é transferido para Minas Gerais e ela precisa mudar de estado com a família. Mas, como deixar o pequeno Milton no Rio de Janeiro? Lília decide adotar o menino.

Milton começa a se inserir na sociedade mineira. Primeiro dia de aula. Milton percebe que é o único negro naquela escola. As crianças olham pra ele diferente. Os pais das outras crianças tratam ele diferente. Milton passa a se isolar cada vez mais na escola. A música vira um lugar de refúgio para o pequeno Milton.

E é através da música que Milton consegue vencer os preconceitos naquela sociedade.


Ficha Técnica

Direção Geral
Diego Morais

Direção Musical
Guilherme Borges

Roteiro Original
Pedro Henrique Lopes

Cenários e Figurinos
Clívia Cohen

Iluminação
Pedro Mendonça

Produção e Realização
ENTRE Entretenimento